Ofício ampliação defesa de nome de Medaglia para a Sinfônica de Campinas – Hora Campinas


A sucessão no comando da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas tem mais um capítulo. Um ofício enviado ao Dário Saadi (Reforçar o movimento organizador pela última publicação no nome e intelectuais da cidade em defesa do último nome sucessor Júlio Medaglia do maestro Victor Hugo To suceder, que deixou a regência titular dia 31 de dezembro, após dez anos de sucesso) carga. O documento exalta as qualidades de Medaglia e enumera argumentos que, na visão dessa campanha, beneficiam a orquestra e a cidade de Campinas como polo cultural.

O documento é assinado pelo jornalista ex-procurador do Município e ex-secretário de Negócios Jurídicos Antonio Caria Neto, em conjunto com o advogado, e historiador Jorge Alves de Lima, presidente da Academia Campinense de Letras (ACL). Lima lidera o movimento que defende o nome de Júlio Medaglia. Ele tem postado nas redes sociais seguidas manifestações, além de artigos escritos sobre o tema. O Hora Campinas publicou texto de sua autoria na edição digital desta quinta-feira (6). O Hora, também, já publicou reportagem narrando e abordando os bastidores da sequência desse movimento.

Júlio Medaglia: campanha Foto: Divulgação

O ofício endereçado a Dário Saadi pontua uma série de qualidades de Medaglia, e detalha seu currículo. “Com o devido respeito e aproveitando a oportunidade, externamos os mais sinceros parabéns pela gestão que vem imprimindo perante a Administração Pública Municipal de Campinas, Sabedores que no mês em curso, V.Exa., tem a missão de indicar o maestro para nossa querida Orquestra Sinfônica, tomo a liberdade de apresentar o currículo internacional do renomado maestro brasileiro, de reconhecimento e contatos importantes”, começa o texto.

E continua. “A indicação se mostra muito oportuna, diante da carência que vem passando nossa Orquestra Sinfônica, sendo que a indicação representa um avanço na cultura de Campinas, pois o maestro Júlio Medalha, como se vê de seu currículo, diplomônica-se em regência sin na Alemanha, na Meister-Klasse da Escola Superior de Música da Universidade de Freiburg, e após várias cargas inclusive na Filarmônica de Berlim”.

Antonio Caria Neto: ofício Foto: Divulgação

Processo de escolha

O assunto segue sendo discutido internamente na Secretaria Municipal de Cultura. A tendência é que a definição acontece entre esse mês e fevereiro. A Orquestra está de recesso e a nova temporada ainda não foi definida. Essa agenda só será organizada com a definição do diretor artístico da OSMC.

O tema é listao para o prefeito, já que ele se comprometeu durante a campanha eleitoral, junto com outros candidatos, a respeitar uma indicação pelos músicos. De acordo com a secretária municipal de Cultura e Turismo, Alexandra Caprioli, a vontade dos músicos será respeitada.

“A lista dos músicos foi feita a partir de uma pesquisa realizada por eles e enviada pela Associação de Músicos da Orquestra. A lista contém 5 nomes (dois deles estrangeiros e três brasileiros ou naturalizados). Quero destacar que respeitamos os músicos porque eles têm inteligência da vontade de esperar para uma Orquestra”, pontuou ela em nota enviada à imprensa.

Alexndra Capri, no final de dezembro, disse o seguinte: “Nesse momento, estamos de análise desses nomes, fazendo contato com os indicados e com a designação do processo, currículo e dados da formação que o cargo exige. O desejo dos músicos é o resultado o desejo indicado pelos músicos e o desejo dos músicos é o resultado. É prerrogativa do prefeito a escolha do novo maestro da Orquestra”.

Dário Saadi diz que vai erspeitar compromisso Foto: Divulgação

Dário aproximadamente sepulta chances

O prefeito, em entrevista na hora, acabou com as esperanças do movimento exclusivo de Lima, aoadi, Jorge Alves Alves. Ele disse que respeitaria a lista dos músicos, conforme compromisso assumido na campanha. Dário fez questão de exaltar, porém, as qualidades de Júlio Medaglia e sua biografia.

O ofício assinado pelo jurista Antonio Caria Neto e por Jorge Alves de Lima pondera que o prefeito avalie as virtudes de Júlio Medaglia. “V.Ex. Ex. os currículos apresentados apresentados músicos da Campinas. Verificando o currículo que melhor atende aos anseios da comunidade de Campinas e que muito engrandecerá a cultura municipal”, pontuam.

“Esperando ter contribuído na escolha do maestro que estará à frente da nossa conceituada, renovamos nosso compromisso de orquestração e contribuir com a Administração Municipal no que precisar”, finaliza o ofício.

Jorge Alves de Lima diz que não desistir Foto: Divulgação

Não vai desistir

Profundo conhecedor da vida e da obra do maestro Carlos Gomes, Jorge Alves de Lima entende que Júlio Medaglia pode contribuir de forma significativa, elevando ainda mais o nome da Sinfônica e projetando um patamar de repercussão internacional. “Júlio Medaglia é o maestro que a Orquestra Sinfônica da terra de Carlos Gomes merece”, resumo do trabalho. O Hora apurou que Medaglia não deseja se manifestar por entender que o tema é de competência da Prefeitura de Campinas, finalizando a carga de maestro titular da Sinfônica é comissionado, de livre nomeação do prefeito Dário Saadi (Repub).

Se depender de Jorge Alves de Lima, o assunto não vai arrefecer tão cedo. “Não vou desistir”, reforçar.



Source link

Escreva um Comentário