No Dia Internacional do Café, uma homenagem às mulheres do cultivar


Por Sandra Racy (*)

Somos o país do café, sim, podemos afirmar isso, e podemos afirmar ainda que Campinas tem mais de 100 anos de história ligada ao cultivar, que o patrimônio e legado pode ser visto na cidade e nos seus arredores, em cidades da região, bem como em outros estados do país.

Com o passar das décadas, o Brasil viu crescer uma tendência no desenvolvimento da cultura do café, que é o envolvimento das mulheres através de seus trabalhos nos processos do cultivar. Incrível perceber como isso tem crescido e se organizado de algumas décadas para cá. Podemos tomar a região de Campinas, com as cidades de Serra Negra e Monte Alegre do Sul, como exemplo, mas também como regiões de Minas e Espírito Santo, que tem um volume maior de terras e, assim, propriedades que tem a mulher à frente fazer cultivar.

Neste Dia Internacional do Café, comemorado em 1º de outubro, resolvi homenagear estas que têm se dedicado ao plantio à bebida, passando pela fermentação, torra e todos os outros processos que envolvem a cultura até chegar a nossa xícara, não esquecendo que o número de baristas mulheres aumentou também.

Um bom exemplo do que falei até agora, de como o número de mulheres no café aumentou e a forma como elas se organizam para se apoiarem, trocar informações e benefícios, é a AMECAFÉ – Associação das Mulheres Empreendedoras do Café da Serra da Mantiqueira.

A associação foi criada em julho de 2017 por um grupo de mulheres que viu a necessidade de se unir em torno de objetivos em comum, bem como a valorização do café e paixão pelos cafés especiais. Nesses seus 4 anos já, é reconhecida pelo mundo afora com seus deliciosos cafés, de muito aroma e sabor.

Segundo Simone de Moraes Sousa, presidente da associação, o início da cidade de São Gonçalo do Sapucaí (MG), distrito dos Ferreiras, teve sua sede em Heliodora (MG). Hoje, em mais uma conquista, sua sede está situada em Lambari (MG) e é privilegiada em estar localizada na Galeria do Parque das Águas.

A AMECAFÉ conta com 98 associada, e sua grande maioria se localiza nos munícipios de Lambari, Cambuquira, Cristina, Olímpio Noronha, Jesuânia, São Gonçalo do Sapucaí, Pedralva, Carmo de Minas, Conceição das Pedras, todas em Minas Gerais, e há a expect de um bom crescimento de sócias para o final do ano de 2021. Para Simone, a união das mulheres em uma associação traz muitos benefícios e, principalmente, conhecimento, além de networking.

“Somos um grupo de pequenas produtoras, e de cafés com características semelhantes por nossa localização. Com nossa altitude e clima, nos caracterizamos por cafeicultura de Montanha, e somos capazes de produzir cafés especiais surpreendentes ”, explica Simone.

“A associação foi um divisor de águas na vida da cafeicultora, com os cursos, aperfeiçoamento, além de conhecermos sempre pessoas incríveis”, comenta Luciana Pereira Avincula, que faz parte da AME desde 2017.

“Cada vez mais estamos conquistando parcerias que irão sonhar e tornar realidade o nosso desejo de capacitar nossas associadas para que, assim, um produto de tanta valia se torne cada vez melhor, e estamos muito felizes pelas conquistas que já obtivemos, o nosso agradecimento às produtoras que confiam em nós ”, reforça a presidente.

AME e IWCA Brasil

É importante dizer que a AME é um sub capitulo ligado IWCA Brasil, que existe desde 2012, que por sua vez tem vínculo com uma IWCA (Aliança Internacional de Mulheres no Café) fundada em 2003. A Aliança tem como objetivo comum a união e força para mulheres do cultivar do café, A IWCA possui 10 Sub-capitulos em todo Brasil.

A IWCA Brasil possui várias diretorias, como explica Daniela Baliza, diretora de pesquisa na IWCA. Cada uma trabalhos em prol da cafeicultora, as que fazem a torra, barista e outras tantas.

Segundo Daniela, que tem formação em agronomia e é docente do Instituto Federal Sudeste, o foco é desenvolver projetos. “Nosso trabalho é fazer com que cafeicultoras, baristas, pesquisadoras, enfim, toda a cadeia ligada ao café tenha eventos, pesquisa, informações, associações nacionais e internacionais para oportunizar tudo ligado ao cultivar para as mulheres”, afirma.

Então, nesse Dia Internacional do Café, vamos brindar com aquele que oportuniza tanto desenvolvimento ao país, e também nos traz aroma, sabor, conforto e união. Salve o café!

Crédito fotos: AME Café

(*) Sandra Racy é jornalista e barista



Source link

Escreva um Comentário