Mortes de covid caem 99% em nove meses em Campinas


Diretora do Devisa, Andrea von Zuben, mostra dados da pandemia em Campinas (Foto: Reprodução / Redes sociais)

O Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde) de Campinas divulgou nesta sexta-feira (17) uma queda de 99% do número de mortes e uma diminuição de 98,8% do total de casos de covid-19 em nove meses.

O índice é resultado da comparação entre os dados das semanas de 7 a 13 de março, quando a cidade confirmou 4.288 ocorrências e 207 mortes, e de 5 a 11 de dezembro, com 53 contaminações e dois óbitos.

O compara o momento que é considerado o balanço o pico da pandemia com o período atual. A diretora da Devisa, Andrea Von Zuben, comemora o panorama, mas ainda faz o alerta sobre a variante ômicron.

"Estamosendo a pandemia? Dá pra entender que sim. Os gráficos mostram que sim. Temos quatro pessoas internadas hoje. Mas não estamos tranquilos, porque temos a ômicron, que ainda não tem casos confirmados aqui", afirma.

Ela também pediu que os moradores da cidade sigam se imunizando com a terceira dose das vacinas existentes e usem máscara nas confraternizações de Natal e réveillon. "Sintomático a gente não aconselha nas festas", recomenda.

VACINAÇÃO

Na apresentação feita via coletiva on-line, outro quadro apresentado indica a queda do índice de casos na comparação com os dados do avanço da vacinação. A diferença se acentua na semana 32, de 9 a 15 de agosto (veja mais abaixo).

"A gente teve esse pico (4.288 de 7 a 13 de março) ea vacinação estava baixinha. Conforme a linha da vacina vai subindo, a gente ainda tem muitas confirmações, mas vai despencando o número de casos", diz a diretora da vigilância municipal .

Diretora do Devisa, Andrea von Zuben, mostra dados da pandemia em Campinas (Foto: Reprodução / Redes sociais)

ÔMICRON

Ao comentar a preocupação com a continuidade da pandemia no próximo ano, Andrea Von Zuben citou diretamente o espalhamento rápido da variante ômicron pelo mundo. Nesta semana, 77 países confirmaram casos da cepa.

"Estamos preocupados em termos. Essa variante é mais transmissível. Mas quem está vacinado está protegido. A cidade ai detectar? Vai. E vai ser uma variante dominante sim", alerta novamente responsável pelo departamento.

TESTAGEM

Outras tabelas apuradas ainda uma retração de 70% no total de testes RT-PCR feitos no SUS (Sistema Único de Saúde) de Campinas entre março, com 5.192 na 12ª semana, e dezembro, com 1.555 na semana 50.

O índice de positividades dos testes também caiu de 61,47%, no auge dos casos em março, para 2% no início deste mês. "A gente não parou de testar. Temos pacientse sintomáticos, mas praticamente zero é covid", detalha von Zuben.



Source link

Escreva um Comentário