Justiça aceita denúncia contra 15 policiais militares de Campinas investigados por coação, fraude e homicídio; 10 estão presos | Campinas e Região


O Tribunal de Justiça Militar de São Paulo aceitou a denúncia do Ministério Público (MPSP) contra 15 policiais militares de Campinas (SP) investigados por coação, fraude, homicídio e outros crimes. A informação foi confirmada ao g1 nesta terça-feira (21) pelo 2º promotor de Justiça Militar Edson Correa Batista. Dos 15 agentes, dez estão presos e cinco respondentes em liberdade.

A apuração foi realizada pela Corregedoria da Polícia Militar a partir de uma delação, que culminou, num primeiro momento, com a prisão de 11 policiais em 23 de novembro, vinculados ao 35º Batalhão de Polícia Militar do Interior (35º BPMI).

Além dos 11 presos na ocasião, outros 50 policiais foram afastados como parte da "adoção das medidas correcionais em desfavor aqueles que descumpriram como leis e desonraram como núcleos dessa farda histórica", disse a Secretaria de Segurança Pública de SP em nota – leia o texto na íntegra no fim da reportagem.

O caso repercutiu na Assembleia Legislativa (Alesp) na última quinta (16), quando a deputada estadual Adriana Borgo (PROS) criticou a decisão do comando da PM de afastar os policiais. Ela disse que a maioria dos agentes é inocente e indicou que é comum os batalhões terem armas apreendidas para serem determinadas "na hora". Veja no vídeo abaixo:

Deputada Adriana Borgo discursa contra afastamento de policiais militares de Campinas