Campinas tem 932 pessoas em situação de rua, revelação


A Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas, divulgada nesta quarta-feira, dia 29, uma nova contagem da população em situação de rua no município. O número aumentou em 13,4%, de 822, em 2019, para 932 este ano. A íntegra do documento pode ser acessada aqui.




Foto: Artur Araujo / DINO

"Essa contagem é de grande importância para desenvolvermos políticas públicas eficazes para essa população", afirmou Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos.

Uma pesquisa de campo ocorreu em 17 de novembro. Durante a manhã e na tarde desse dia, uma contagem ocorrida nos serviços públicos municipais e ambientes costumeiramente frequentados pela população em situação de rua. À noite, das 18h à 0h, 15 equipes foram a campo nas cinco regiões da cidade (Sul, Leste, Norte, Noroeste e Sudoeste) e um grupo ficou concentrado no Centro POP Sares 1, na Rua Regente Feijó, para coordenar as atividades e verificar os formulários preenchidos. Os pesquisadores adotaram um relatório padronizado que foi aplicado em todas as pessoas encontradas em situação de rua. A metodologia adotou o princípio da autodeclaração: os entrevistados se definiram quanto ao gênero, raça etc. Observaram-se todos os protocolos de saúde preconizados para a prevenção da Covid-19.

Em relação ao gênero, a contagem considera uma autodeclaração, do mesmo modo que nas contagens anteriores. A maioria é de homens, com 81,5%; seguido de mulheres, com 16,2%. Mulheres trans representam 0,9%, homens trans são 0,6%. Os que se definiram como homossexuais foram 0,5% e travestis, 0,4%. A população LGBT representa 2,4% do total.

Na contagem de 2019 houve também predominância de pessoas que se declararam do gênero masculino (82%), mulheres representaram 15%. A população LGBT, considerando-se homem cis, mulher cis, homem trans, mulher trans e travesti, somou 3%.

Na contagem de 2021, perguntou-se aos entrevistados se foram vacinados ou se já testaram positivo para a Covid-19. A maioria (70,1%) afirmou que tomou a imunizante e a maioria (87,90%) também apresentou que não testou positivo para a doença. A Prefeitura de Campinas planeja uma nova vacinação para esse público em 2022.

Ações em prol da população em situação de rua

A Prefeitura de Campinas mantém operações especificamente para o atendimento da população em situação de rua.

SOS Rua

O serviço de abordagem social de população adulta em situação de rua, o SOS Rua, conveniado pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, mantém diariamente a abordagem a pessoas que vivem nas ruas de Campinas, acolhendo-as e orientando -Como.

O serviço funciona das 8h às 22h. Durante uma Operação Inverno, uma ação se estende diariamente até a meia-noite.

Mão Amiga

O programa Mão Amiga teve início em 2016, com o objetivo de dar formação profissional às pessoas em situação de rua, buscando reinseri-las no mercado de trabalho e, consequentemente, não convívio familiar e social.

Os bolsistas são indicados pelos serviços da rede socioassistencial da Prefeitura e, para iniciarem os cursos, passam por um processo seletivo.

Operação "Amigos no trecho"

Iniciada em 1º de julho de 2021, o projeto envolve uma Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, uma Polícia Militar Rodoviária e as concessionárias que administram como estradas que passam pelo município de Campinas. Trata-se de um serviço 24 horas que, ao identificar um morador em situação de rua nas estradas, aborda, identifica-o e oferece acolhimento no albergue municipal.

Recâmbio

O Recâmbio de Migrantes é um programa da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, cujo propósito é garantir o retorno seguro de pessoas socialmente vulneráveis ​​a seus locais de origem.

Bagageiro municipal

Desde abril de 2021, como pessoas em situação de rua também podem contar com o bagageiro, um espaço para guardar os pertences. Fica na Rua José Cruz Ferreira Jorge, 32, na Vila Industrial e funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

Centros POP Sares unidade 1 e unidade 2

São equipamentos públicos que ofertam atendimento especializado para pessoas em situação de rua. As ações desenvolvidas são: acolhida; escuta qualificada e compreensão do contexto familiar e social dos (as) usuários (as); orientação sobre documentos pessoal; compreensão da complexidade e da dimensão social que perpassa a situação de rua; incentivo à participação social dos (as) usuários (as) e a defesa de direitos e oferta de cuidados de higiene, vestuário e alimentação.

Casas de passagem

As duas casas de passagem em Campinas acolhem pessoas em situação de rua, oferecendo espaço transitório de moradia para a construção do processo de saída das ruas. Oferece cuidados de higiene, saúde, alimentação, vestuário, documentos e convivência.

Abrigos

A Prefeitura conta com três abrigos masculinos, um feminino, um albergue municipal (Samim), um albergue emergencial para a proteção de Covid e um albergue para moradores em situação de rua com sintomas gripais.

Consultório na rua

A Secretaria Municipal de Saúde mantém o Consultório na Rua, que visa atender a essa população. Por meio de um veículo adaptado que percorre diversas áreas da cidade, o Consultório na Rua oferece cuidados em saúde a essas pessoas em seus contextos próprios de vida. É composto por duas equipes multidisciplinares que contam com médicos, psicólogos, assistentes sociais, auxiliares de enfermagem, enfermeiros e redutores (pessoas que trabalham com a política de redução dos danos causados ​​pelas drogas). O foco do atendimento é voltado para doenças ou condições que mais ocorrem nos moradores em situação de rua, como tuberculose, alcoolismo e combate ao crack e outras drogas. Orienta essa população sobre doenças, como as sexualmente transmissíveis e hepatites. Realiza curativos, testes de diabetes e pressão de pressão.

Local na rede Internet:

https://www.campinas.sp.gov.br/governo/assistencia-social-seguranca-alimentar/



Source link

Escreva um Comentário