Campinas recebe 5,3 mil doses pediátricas; veja cidades da região


Vacinas chegaram à sede da DRS 7 em Campinas (Foto: Pedro Torres/EPTV Campinas)

*Matéria atualizada às 18h44 do dia 14 de janeiro de 2022.

A secretaria de saúde de Campinas recebeu no final da tarde desta sexta-feira (14) as primeiras 5.390 doses de vacinas infantis contra a covid-19.

O município ainda não confirmou uma data para o início da imunização dos 5 aos 11 anos, mas detalhou a abertura do agendamento a partir das 15h da próxima segunda-feira (17).

A pasta municipal informou que a população é de 112.275 pessoas e grupos que também seguirão como contratação pelo Programa Estadual de Imunização (confirma os e a lista de faixa de idade abaixo).

"A partir do final da semana serão distribuídas as unidades a partir do final da semana", a partir de nota de hoje uma secretaria, por meio.

NA REGIÃO

A chegada da remessa à cidade acontece após a entrega de 21,7 mil doses pediátricas ao DRS 7 (Departamento Regional de Saúde), sediado em Campinas.

Com isso, outras 41 cidades têm direito a retirar os lotes no local. As dependências dependentes da população de cada uma. Entre elas, há cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas).

Veja a lista de municípios e como:

Americana – 1.000
Artur Nogueira – 270
Cosmopolis – 380
Holambra – 80
Hortolândia – 1.150
Indaiatuba – 1.150
Jaguariúna – 280
Monte Mor – 320
Morungaba – 70
Nova Odessa – 260
Paulínia – 580
Pedreira – 210
Santa Bárbara d'Oeste – 860
Santo Antônio de Posse – 120
Sumaré – 1.440
Valinhos – 500
Vinhedo – 360

LEIA TAMBÉM
Campinas avaliação de volta presencial às escolas
Vacinação infantil: será preciso esperar que a criança seja vacinada para mandá-la à escola?

DISTRIBUIÇÃO E PRIORIDADES

O estado de São Paulo distribuiu 234 mil doses aos 645 municípios para aplicação da faixa etária de 5 a 11 anos. Além dos 21,7 mil enviados à região de Campinas, 3,7 mil foram enviados à região de São João da Boa Vista e 7,3 mil à região de Piracicaba.

A partir disso, informou que é responsabilidade das prefeituras à retirada, o transporte e armazenamento em temperatura adequada das doses.

Além de índigenas e quilombolas, a imunização será primeiro aos menores com comoridades e deficiências. Desta forma, a partir dos próximos dias, é necessário que os pais e responsáveis ​​apresentem os comprovantes de doenças prévias.

São válidos exames, ou qualquer prescrição médica. Além disso, ainda de acordo com as regras de inclusão infantil também, os cadastros já existentes nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) dos municípios poderão ser utilizados.

A estimativa da massa estadual de Saúde é 850 mil menores vacinados de forma prioritária A lista de comorbidades é definida pelo Ministério da Saúde.

Veja abaixo:

– Insuficiência cardíaca
– Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
– Cardiopatia hipertensiva
– Síndromes coronarianas
– Valvopatias
– Miocardiopatias e pericardiopatias
– Doenças da aorta, grandes vasos e fístulas arteriovenosas
– Arritmias cardíacas
– Cardiopatias pensadas
– Próteses e implantes cardíacos
– Talassemia
– Síndrome de Down
– Diabetes melito
– Pneumopatias crônicas graves
– Hipertensão arterial resistente e de cirurgia 3
– Hipertensão duração 1 e 2 com lesão e órgão alvo
– Doença cerebrovascular
– Doença renal crônica
– Imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos)
– Anemia falciforme
– Obesidade mórbida
– Cirrose hepática
– HIV



Source link

Escreva um Comentário