Campinas encerra contratos com hospitais particulares, fecha 9 leitos de UTI Covid e mantém 39 no SUS municipal | Campinas e Região


Com a queda nas internações pela Covid-19 em Campinas (SP), uma Secretaria Municipal de Saúde decidiu fechar, em 8 de novembro, nove leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusiva para pacientes com doença a partir da não renovação de um dos contratos com hospitais que cedem estruturas para o Sistema Único de Saúde (SUS). Outros convênios já foram encerrados, e a previsão da pasta é manter apenas os firmados com o Hospital PUC-Campinas e a Maternidade.

Em 7 de novembro, uma prefeitura vai finalizar o convênio de 10 leitos da Irmandade de Misericórdia. Na terça-feira (26), o contrato que viabilizava quatro leitos da Casa de Saúde já havia sido encerrado e as estruturas devolvidas. Com isso, o SUS municipal passará de 48 estruturas para 39 a partir do dia 8.

Os contratos que serão tirados do Hospital PUC-Campinas terão acréscimo de uma estrutura – de seis para sete – e a Maternidade cede um leito para grávidas.

Já nas unidades públicas municipais, o secretário de Saúde de Campinas, informou o Lair Zambon ao g1 que o SUS vai continuar com leitos no Hospital Metropolitano, que foi alugado pela prefeitura após o fim da requisição administrativa e no Hospital Ouro Verde.

Ao longo da pandemia, a metrópole chegou a manter 13 contratos com hospitais particulares – alguns com mais de um convênio, como o Hospital PUC-Campinas e a Irmandade de Misericórdia, que tinha dois acordos cada. A diária de cada leito da UTI Covid custa R $ 2.460,98 aos cofres municipais.

'Cautela', secretário secretário

Apesar de anunciar a redução nas estruturas do SUS, Zambon afirmou que, daqui para frente, vai adotar cautela para cortar mais leitos – e monitorar frequentemente os índices para avaliar se não será preciso reabrir.

"Nesse momento nós vamos ser mais cautelosos porque o que ressalta essa pandemia é a imprevisibilidade. Estamos atentos a cidades que vacinaram muito, principalmente cidades da Europa, no sentido de analisar como estão indo a pandemia por lá".

"Em todas as nossas medidas, nós vamos ser um pouco mais cautelosos por conta da imprevisibilidade da doença", afirmou.

Hospital PUC-Campinas realiza atendimentos pelo SUS. – Foto: Reprodução / EPTV

Zambon explica que o contrato com um PUC será renovado porque o hospital disponibiliza leitos que atendem pacientes com alta gravidade e tem capacidade de fazer procedimentos mais complexos.

"Por uma hierarquia de gravidade de paciente, nós vamos manter provavelmente uma parte no Metropolitano, uma parte no Ouro Verde e leitos de doentes graves de Covid também no convênio que temos com um PUC".

“Isso dai é uma hierarquia de gravidade de UTI, porque a própria UTI tem níveis, entendeu? Para ter procedimento hemodinâmico, o Metropolitano não tem, mas a PUC tem ”.

"Doentes mais graves, com hipóteses mais complexas, provavelmente ficarão na PUC. Nós vamos ter lá leitos para pacientes muito graves", completou.

Debate sobre uso de máscara

Diante da queda nas internações e nos demais indicadores da pandemia, o secretário adiantou que uma reunião de âmbito estadual deve discutir, em 10 de novembro, uma possibilidade de encerrar a obrigatoriedade do uso de máscara locais, no estado de São Paulo.

"Eu, particularmente, sou muito preocupado com essa história. Muito provavelmente, em revelação de novembro vai haver uma grande discussão no estado sobre a retirada de máscara local aberta. Talvez seja isso o que a prefeitura pode pensar, em locais locais, mas ainda a discussão não foi aberta dentro da Saúde ".

Zambon defende que o uso do equipamento de proteção em locais fechados não deve ser flexibilizado pelo menos até o ano que vem.

"Eu acho que em novembro podemos discutir a flexibilização do uso de máscara em lugares abertos. Em lugares fechados, na minha opinião não existe essa possibilidade por conta da imprevisibilidade da doença. Nós temos que analisar o que está acontecendo no mundo em cidades com o mesmo perfil de Campinas, com vacinação completa ".

VÍDEOS: os destaques de Campinas e região



Source link

Escreva um Comentário