Campinas e Americana fazem alerta contra febre maculosa


As cidades de Campinas e Americana iniciaram uma campanha de alerta aos moradores sobre os riscos de contaminação por febre maculosa, que é transmitida pelo carrapato-estrela, cujo hospedeiro mais frequente no meio urbano é a capivara. Este ano, Campinas registrou três casos da doença, sendo que todos evoluíram para a morte. Em 2020 foram sete registros, com cinco óbitos. Americana contabilizou sete casos este ano, com uma morte. Em 2020, foram 28 episódios, com quatro vítimas fatais.

Os dois municípios estão concentrando como ações em locais de grande circulação de pessoas e com presença de capivaras, como Áreas de Preservação Permanentes (APPs), parques públicos e encostas de córregos e rios. Estão sendo afixadas placas alertando os frequentadores para o risco do contato com o carrapato-estrela e uma conseqüente contaminação. Em Campinas, segundo informações da Prefeitura, o trabalho teve início no último dia 24.

Foram avistados na entrada do Lago do Café, Lagoa do Taquaral, Lagoa do Mingone, Pedreira do Chapadão, Parque das Águas e Parque Ecológico. O objetivo, conforme a Prefeitura, é alertar as pessoas para evitar o contato direto com a vegetação dos parques, como grama e folhas secas, onde pode haver a presença do carrapato-estrela. A Administração informou que outras 150 áreas de risco em Campinas também serão contempladas com placas futuramente.

"Como tentar nos avisos, os frequentadores devem usar os caminhos de terra e calçamento, andar sempre calçados e evitar sentar ou deitar no gramado, próximo a folhas secas, além de evitar piqueniques próximos a esses locais", informa a nota divulgada pela Prefeitura. Para uma coordenadora do Programa Municipal de Arboviroses de Campinas, bióloga Heloisa Malavasi, a população pode e deve frequentar os parques, porém precisa tomar algumas precauções para evitar contrair uma febre maculosa.

Segundo ela, caso alguém entre em contato com a vegetação local que registra circulação de capivaras, é preciso ficar em estado de alerta por 15 dias. Os sintomas da doença são febre, dores de cabeça, dor intensa no corpo, mal-estar generalizado, náuseas, vômitos e, em alguns casos específicos, surgem manchas vermelhas pelo corpo.

Heloisa explicou que a febre maculosa é extremamente grave e que não existe vacina contra ela e nem é possível eliminar totalmente o carrapato da natureza. A bióloga comentou ainda que existem formas de minimizar os riscos de contágio, por meio do manejo da vegetação e do esclarecimento à população. A despeito dos riscos, em Campinas a frequência nos parques onde vivem as capivaras segue intensa.

Para o administrador de empresas Marcelo Seara Salata, 50, que estava na Lagoa do Taquaral junto com a filha, Marisa Serralha Barros, 21, o assunto preocupa. Ele disse andar protegido pelo local usando tênis, camiseta e evitando os locais mais próximos das capivaras. "Eu sempre gostei de andar descalço pela pista da Lagoa, mas com a proliferação das capivaras parei de agir assim. Essas placas colocadas pela Prefeitura servem de alerta", considere.

Americana

Desde o dia 15 de setembro, a Prefeitura de Americana, por meio do Programa de Vigilância e Controle de Carrapatos e Escorpiões, iniciou a instalação de placas informativas em áreas de risco de contaminação por febre maculosa. Perto de 15 áreas estão recebendo placas informativas, entre elas a Área do Carioba, pesqueiros próximos ao Rio Piracicaba, Casa da Cultura Hernan Muller, área do Rio Jaguari, e Praia dos Namorados.



Source link

Escreva um Comentário